Jor. Zé Roberto e Sindicalista Wellington entrevistam Neto

26/04/2018



Folha Oeste:: Boa tarde a todos os amigos e amigas do Facebook, estamos aqui no

Folha Oeste: vamos fazer uma transmissão ao vivo através do canal do Facebook. Eu jornalista Zé roberto. O nosso entrevistado de hoje é o nosso amigo. Presidente do Secor, José Pereira da Silva Neto e Wellington Alves; presidente do STICCOR . José Pereira: Boa tarde a todos do

Folha Oeste:. Eu estou a disposição do jornal ao Zé Roberto.

Folha Oeste:: Primeiramente boa tarde a ao nosso amigo José Pereira. Wellington Alves: Boa tarde a todos do

Folha Oeste: e para os internautas.

Folha Oeste:: Vamos falar do evento 1º DE MAIO na LUTA PELOS DIREITOS TRABALHISTA. José Pereira: Bom Zé, Reconhecido no Brasil e no mundo como o Dia do Trabalhador, o 1º de Maio relembra e reconhece a grandeza da história da classe trabalhadora trilhada com muita luta e conquistas, mesmo em meio a tantas ameaças! Desde 2016, vivemos em um reflexo de duros golpes aos nossos direitos, tanto trabalhistas e previdenciários como em nossos direitos humanos. Após um golpe contra a democracia brasileira.

Folha Oeste:: Um governo ilegítimo congelou os gastos públicos por 20 anos comprometendo serviços essenciais para a população, como a saúde e a educação. José Pereira: Exatamente Zé, No ano passado, a Reforma Trabalhista foi mais um golpe contra os trabalhadores brasileiros, alterando mais de cem pontos da CLT – Consolidação das Leis Trabalhistas. Precarização das relações trabalhistas, trabalho intermitente, descaso com a saúde da trabalhadora e a tentativa de deixar a classe mais fraca são apenas alguns desses reflexos. Se uma das grandes promessas da Reforma era acabar com o desemprego, por que ainda, de acordo com o IBGE, temos 13,1 milhões de desempregados no Brasil? Wellington Alves: No entanto, mesmo sob ataques constantes, a união do Sindicato nos permite lutar por condições dignas de trabalho.

Folha Oeste:: A manutenção dos direitos já previstos e garantidos nas Convenções Coletiva de Trabalho, têm força de lei? Wellington: Sim, ela vence na sua data base, cada categoria tem um mês. Assim como no ano passado, sabemos que essa Campanha Salarial será difícil, mas com resistência continuaremos a lutar pelos trabalhadores. Estamos atentos às próximas eleições e aos políticos que foram contra a classe trabalhadora nos últimos anos! Precisamos escolher deputados, senadores e um presidente que levantem a bandeira dos trabalhadores e nos representem.

Folha Oeste:: Fala um pouco para os internautas sobre o sindicato. José Pereira: Dentro de toda essa trajetória, o Sindicato dos Comerciários de Osasco e Região (Secor) tem a honra de poder afirmar que cresceu e fez parte da história da cidade. Já são quatro décadas de batalhas diárias, mobilizações, Campanhas Salariais e muita dedicação para assegurar ao trabalhador a manutenção e ampliação de todos seus os direitos. Sempre na Luta isto que gerou grande reconhecimento ao Sindicato. Temos orgulho de fazer parte dessa história e poder trabalhar para proporcionar mais valorização aos comerciários, que, organizamos, continuam contribuindo com o crescimento dessa cidade. Temos orgulho de fazer parte dessa história e poder trabalhar para proporcionar mais valorização aos comerciários, que, organizamos, continuam contribuindo com o crescimento dessa cidade.

Folha Oeste:: Fale um pouco da sua categoria da Construção Civil. Wellington: A construção civil foi o setor mais atingido pela crise economica, é o setor que mais emprega trabalhadores quando a economia esta crescendo, e também é o que mais demite quando a economia esta declinando. Por isso achamos que as nogociações desse ano não será fácil, precisamos de muita mobilização da categoria para chegar a um acordo que satisfaça a todos.

Folha Oeste:: Chegamos ao final quero agradecer nosso amigo. José Pereira da Silva Neto. E o Wellington Alves. José Pereira: Quero agradecer toda equipe do Jornal

Folha Oeste: comunicação ao Jornalista Zé Roberto. Legal bater esse papo. Muito obrigado mesmo abraço a todos. Ao meu companheiro Wellignton do STICCOR. Wellignton: Quero agradecer a oportunidade de esta contando um pouco do nosso sindicato. Teremos o 1º de Maio com algumas atrações artísticas em conjunto com a CUT, CTB, Intersindical Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo.



Outras notícias de Entrevista