Vôlei Osasco-Audax não passa pelo Minas Tênis Clube e se despede da Copa Brasil

04/02/2019

Osasco (SP) – O Vôlei Osasco-Audax deu adeus à Copa Brasil. Na noite deste sexta-feira (1), no ginásio Perinão, em Gramado (RS), o atual campeão do torneio foi superado na semifinal pelo Minas Tênis Clube, que venceu por 3 sets a 1, parciais de 25/21, 17/25, 25/22 e 25/16, em 1h54min. Com o resultado, a decisão será entre equipes mineiros, já que o Dentil/Praia Clube bateu o Sesi Bauru por 3 a 2 na outra partida. A final será neste sábado (2), às 21h30, no mesmo local. Agora, a equipe osasquense volta a focar na Superliga Cimed. O próximo compromisso será contra o Hinode Barueri, na sexta-feira (8), no José Liberatti. A líbero Camila Brait comentou a partida. “No primeiro set, jogamos cinco ou seis pontos na frente e não podemos deixar virar como aconteceu. Isso já tinha ocorrido antes e precisamos corrigir. No segundo set sacamos muito bem e o resultado veio. Sabíamos que seria necessário sacar bem para tirar o passe do Minas, que tem atacantes muito eficientes. Lutamos, mas, infelizmente, não deu. Agora é voltar para casa, colocar a cabeça no lugar, treinar e estudar muito o time de Barueri, pois teremos mais um jogo duro na sexta-feira”. O jogo – O Vôlei Osasco-Audax começou a partida em ritmo acelerado. Com três pontos de Hooker, abriu 6/3. Apesar de apresentar bom volume de jogo, as comandadas de Luizomar viram o Minas empatar no 13/13. As adversárias conseguiram passar à frente no 17/16 e começaram a comandar o placar. Sem perder o foco, as osasquenses se mantiveram lutando. Com um ace de Carol, diminuíram a vantagem para dois pontos (21/23). Contudo, não conseguiram evitar a vitória do Minas, que fechou em 25/21. O segundo set repetiu o início do primeiro, com Osasco abrindo 8/1, após grande sequência de saque de Mari Paraíba. Com bloqueio duplo de Leyva e Nati, o time paulista chegou a 11/2. Com Claudinha e Lorenne em quadra na inversão, time fez 15/8. Além de jogar bem, o time osasquense contava com sucessivos erros da equipe mineira. Com Walewska na china, chegou ao 20/11. E aproveitando as falhas do rival, as comandadas de Luizomar fecharam em 25/17 para empatar a partida. Diferentemente dos dois sets anteriores, as mineiras começaram melhor na volta para o terceiro set e abriram 6/2. Atento, Luizomar pediu tempo. Mesmo assim, sua equipe seguiu cometendo erros e o treinador parou o jogo novamente quando o adversário fez 10/3. O time seguiu lutando e com duas grandes defesas de Camila Brait e bom aproveitamento no contra-ataque, a diferença caiu para quatro pontos (6/10). Após sequência de quatro saques de Lorenne foi para apenas um ponto (11/12). Mas a briga de gato e rato seguiu, o Minas voltou a abrir (20/16) e encaminhou a vitória, que veio com o placar de 25/22. Osasco abriu logo 3/0 no quarto set. O Minas empatou no 5/5. O jogo seguiu ‘lá e cá’ até o adversário fazer 11/9. Nesse momento, Luizomar pediu tempo. Suas atletas continuaram lutando e se mantiveram na cola das mineiras, um ponto atrás. Porém, quando ficou quatro pontos (12/16), o treinador parou o jogo novamente. Natasha, Paula Pequeno e Claudinha entraram em quadra, mas não conseguiram segurar o ritmo do Minas Tênis, que ganhou por 25/16. O Vôlei Osasco-Audax entrou em quadra com Carol Albuquerque (3), Hooker (15), Walewska (7), Nati Martins (10), Mari Paraíba (11), Angela Leyva (9) e a líbero Camila Brait. Entraram: Kika, Claudinha, Lorenne (2), Natasha, Paula Pequeno. Técnico: Luizomar de Moura. O Minas Tênis Clube entrou em quadra com Macris (1), Bruna Honório (16), Carol Gattaz (17), Mara (7), Gabi (9), Natália (17) e a líbero Leia. Entraram: Georgia (1), Bruna Costa, Lana (1), Malu (2). Técnico: Stefano Lavarini. Novos patrocinadores – Para a temporada 2018/19, o Osasco Voleibol Clube conta com novos patrocinadores: Audax, Grupo Marquise, Grupo Resek (Reserva Raposo), Autopass (Cartão BOM) e Icone. Equipe para a temporada 2018/19 - O Vôlei Osasco-Audax reformulou seu elenco para a temporada 2018/19. Reuniu três campeãs olímpicas – Paula Pequeno, Walewska e Carol Albuquerque -, além de contar com atletas que jogaram na Seleção Brasileira recentemente – Claudinha e Lorenne - e jogadoras que já defenderam seu país em competições internacionais – Mari Paraíba, Camila Brait, a norte-americana Hooker e a peruana Angela Leyva. Também tem no grupo as centrais Natasha, Nati Martins e a ponteira/oposta Domingas. A equipe osasquense investe ainda na nova geração do esporte. Renovou os contratos da líbero Kika e da levantadora Gabriela Zeni, e trouxe a ponteira Vivi e a central Mayara. COPA BRASIL FEMININA 2019



Outras notícias de Osasco


  • Próximo