Guaidó tenta articular greve do setor público; Maduro diz que vai derrotar 'minoria enlouquecida'

06/03/2019

O líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, afirmou nesta terça-feira (5) que estava conversando com sindicatos para convocar uma greve de funcionários públicos, na tentativa de paralisar o setor estatal, aumentando a pressão sobre Nicolás Maduro ao tentar atingir uma de suas mais importantes bases de apoio. O chavista, por sua vez, falou em público pela primeira vez após o retorno do presidente interino autoproclamado à Venezuela, nesta segunda, e não citou Guaidó diretamente, mas disse que derrotaria os oposicionistas. "Enquanto uma minoria enlouquecida continua com seu ódio, em sua amargura, nem prestamos atenção, compatriotas", discursou."Que siga a minoria enlouquecida em sua amargura. Vamos derrotá-los, tenham certeza absoluta. Por Chávez, o faremos. Pela grande história da pátria, o faremos", afirmou num ato que lembrou os seis anos da morte de Hugo Chávez. As greves que Guaidó tenta articular buscariam aproveitar o momento da oposição, impulsionado pela sua volta a Caracas, depois que ele desrespeitou a proibição de viagem para fazer um giro por países vizinhos em busca de apoio para sua campanha pela deposição de Maduro. Embora Guaidó tenha publicamente especulado que autoridades o prenderiam quando retornasse, ele passou pelo Aeroporto Internacional de Caracas sem problemas. Ele, então, foi para uma marcha na qual brincou com fato de o governo ter permitido sua entrada sem problemas, dizendo ao público que “alguém não obedeceu uma ordem”.



Outras notícias de Brasil


  • Próximo